16 de outubro de 2014

Você é o culpado


Sempre achei horrível a sensação de ter sentimentos demais, de em um momento ser apaixonada e no outro ter um ódio mortal, de estar feliz e logo estar triste. Sempre fui tão intensa com meus sentimentos, se fosse pra amar alguém eu amaria com toda força do mundo, se fosse pra odiar eu até fazia planos malignos. Mas isso acabava sendo um problema, eu afastava as pessoas, algumas até ficavam com medo, diziam que eu era louca. Ah! como eu odiava ser intensa, isso me trouxe tanta dor.

Eu tão inocente achava que sentir demais era a pior coisa que alguém poderia sentir, mal sabia que não conseguir sentir nada era muito pior.

Sentada no chão do banheiro, a água do chuveiro molhava meus cabelos, imaginei várias cenas que me fizeram feliz em um momento da vida, lembrei do quanto era bom andar de mãos dadas com alguém, do quanto me fazia feliz receber um elogio sincero, do quanto uma criança brincando me encantava, mas nada aconteceu... Absolutamente nada.

Então comecei a imaginar coisas que me fizeram triste, com ódio, raiva, imaginei as vezes que fui trocada por outra pessoa, de quando só ouvia xingamentos e palavras horríveis, de quando me entreguei a alguém e fui abandonada, mas mesmo assim nada aconteceu. Se fosse a um tempo atras eu estaria chorando igual uma criança quando perde um brinquedo...

Mas as coisas mudaram, os sentimentos mudaram e morreram.  E a culpa é sua por ter me feito uma pessoa de pedra, que não consegue nem sorrir. Você é o culpado de toda dor. 

Você é o culpado por ter destruído uma pessoa cheia de sentimentos.

Comentários via Facebook

© Chovendo algodão doce — Blog sobre fotografia, cotidiano, amores e coisas bonitas ♡ – feito com amor e muito café