Pessoal

Sobre 2017 e seus ensinamentos

domingo, dezembro 31, 2017

Mais um ano que chega ao fim, 2017 foi sem dúvida alguma um ano repleto de aprendizado pra mim. 2016 tinha  sido um ano muito difícil, cheio de incertezas e medos, o inicio de 2017 os sentimentos ruins comandavam a minha vida, mas, com o passar dos dias fui aprendendo a ser leve, não ter pressa, respirar fundo e nunca perder a esperança de um dia melhor.

2017 me ensinou que ser totalmente feita de emoção é levar muitos socos na cara, mas ser completamente feita de razão não é algo bom, é preciso manter um equilíbrio.
Aprendi a manter os pés no chão, mas continuar sendo livre para voar. Aprendi que amores reais e eternos existem, mas que nem sempre ficam juntos, e só resta aceitar e desejar o bem. 
Aprendi que consigo ser feliz sozinha, mas ter amigos para rir, brincar e conversar faz um bem gigantesco.
Aprendi a não me julgar tanto e não dar ouvidos as coisas ruins que as pessoas falam sobre mim.
Aprendi que muitas pessoas vão entrar e sair da minha vida, não tem como mudar isso, mas vale a pena insistir em algumas pessoas.
Aprendi a lidar com meus medos e inseguranças, a controlar minha ansiedade, a não deixar a depressão engolir tudo de bom que tenho. 

2017 foi o ano em que o Oito entrou definitivamente na minha vida, e nesse momento aprendi o que é amar incondicionalmente algo, deixar de sair para não deixa-lo sozinho em casa, gastar dinheiro com brinquedos que em poucos minutos ele ira destruir, que mesmo quando ele apronta e destrói tudo dentro de casa não tem como ficar com raiva.
Foi o ano em que fiz a minha primeira tatuagem, que tem um significado gigantesco em relação ao passado. Muitas vezes o coração dói e aperta ao olhar ao mesmo tempo em que fico feliz por um dia ter amado tanto alguém.
Foi o ano em que lutei e corri muito atras de um estágio, quando finalmente consegui a felicidade foi/é gigantesca. É uma sensação de estar realmente indo pelo caminho certo e que as coisas só irão melhorar.
Foi o ano em que achei que iria morrer. Passei a cuidar mais da saúde, entrei pra geração crossfit, passei a praticar yoga, comecei a andar de bike todos os dias, cuidei mais de mim.

Ainda existe muitas, muitas, muitas coisas para aprender, mas estou com orgulho da Thaynara de 2017, estou orgulhosa com a Thaynara que estou entregando para 2018. Que 2018 seja um ano incrível.
Pessoal

TAG: Como você era nos tempos de escola?

segunda-feira, dezembro 18, 2017
Mais uma tag sendo postada neste bendito blog por motivos de que: ando desanimada pra organizar post detalhados e trabalhosos, o plano de fazer post especiais para o natal fracassou pelo mesmo motivo –desanimo, cansaço, muitos pensamentos loucos que não consigo lidar.

Como na Tag: Louca por fotografia, vi essa no blog da Uai Babi!, achei bem legalzinha e pensei “porque não né” 
1. QUEM ERA VOCÊ, E COMO VOCÊ ERA? 
Acho que a maioria das pessoas que estudaram comigo devem lembrar de mim por eu ter arrumado algumas brigas, ser muito nervosa, a menina estranha dos cabelos coloridos. E eu era exatamente assim, arrumava tretas desnecessárias, mas estava sempre zoando com a cara de alguém, tinha um estilo bem estranho (eu mesma pirigotica colorida). Não era uma aluna exemplar, mas sempre estava muito interessada nas aulas de história e português. 

2. NO RECREIO, ONDE ERA MAIS FÁCIL TE ENCONTRAR?
Na Cantina obviamente, eu estou no mundo pra comer! 

3. JÁ NAMOROU OU FICOU COM ALGUÉM DA ESCOLA? FOI DENTRO OU FORA DA ESCOLA?
Só Deus pode me julgar! hahahaha Meu primeiro namoradinho era da mesma escola (eu morava em uma cidade no interior do ES e só tinha uma escola, ou seja, praticamente todo mundo da  cidade estudava lá).



4. JÁ FEZ ALGUMA COISA ESCONDIDA OU CONTRA AS REGRAS? JÁ CABULOU AULA?
Já acobertei pessoas que estava fazendo "coisas erradas" dentro da sala no intervalo (não lembro se eu realmente fiz algo).
Matava aula sempre que era possível. Não me orgulho disso, mas, verdades. 

5. QUAL FOI O MELHOR E O PIOR DIA?
O melhor dia na visão da thaynara de 17 anos, foi quando finalmente terminei o ensino médio, não teria que voltar pra escola, seria uma adulta.
 O pior dia foi quando um amigo meu morreu e tive que ir a aula, todo momento tinha vontade    de chorar, mas guardei tudo que estava sentindo no dia dentro de mim e fingi que estava tudo bem.

6. SOFREU OU CAUSOU BULLYING EM ALGUÉM?
Em todo período escolar eu sempre sofri muito com "piadinhas" maldosas e até mesmo alguns atos bem ruins contra mim, mas, naquela época não era falado sobre bullying então você só podia ignorar e seguir em frente, porque ninguém iria da muita bola se você fosse "denunciar". Mas por outro lado eu também fazia piadinhas sobre as pessoas ao meu redor, então acabava sendo chumbo trocado.
7. COMO ERA A SUA PERFORMANCE EM APRESENTAÇÕES DA ESCOLA? CURTIA?
EU QUERIA MORRER toda vez que falava que teria apresentação (até hoje sou assim). Até a 4° serie eu participava de muita coisa, mas dai em diante comecei a ter pavor de me apresentar, passava mal só de imaginar as pessoas me olhando.

8. DO QUE VOCÊ MAIS LEMBRA DESSE TEMPO? QUAIS AS COISAS QUE MAIS TE TRAZEM LEMBRANÇAS?
As bagunças e palhaçadas que nunca paravam com a galera do fundão, as amigas que hoje em dia não tenho mais contato, das pessoas que me ajudam nas provas de química e física (graças a elas conseguia passar de ano, amém). 

9. TEVE ALGUM PROFESSOR(A) OU FUNCIONÁRIO QUE TE MARCOU?
Tive dos professores que me marcaram muito. A professora Bianca que me mostrou o mundo da arte de uma forma extremamente foda, foi nas aulas dela que percebi que eu poderia ser o que quisesse.
E o Claytor, professor de física, que apesar de nunca ter entendido absolutamente nada da matéria eu adora como ele explicava as coisas. Ele era um professor muito autentico, bem loucão, que sentava com os alunos a qualquer momento pra conversar e te fazer questionar sobre o mundo.

10. SE VOCÊ PUDESSE VOLTAR NO TEMPO, O QUE DIRIA PRA VOCÊ MESMA NAQUELA ÉPOCA?
Pra não arrumar algumas tretas desnecessárias, algumas vezes é melhor respirar fundo e seguir em frente. Matemática é realmente muito chato, mas é necessário na sua vida, preste mais atenção nas aulas, se esforce mais.
Textos

A tatuagem que eu fiz

terça-feira, dezembro 05, 2017

Tatuei na pele o que por muito tempo tentei esquecer. Sempre fui o tipo de pessoa muito intensa, que sentia demais, de um dia pro outro tive que aprender a ser fria. Não chora, não demonstra sentimento, não puxa conversa, seja indiferente, mostre pra todos o quanto você superou tudo isso, não chora, não sinta saudades, não ouse nem ao menos pensar. Isso consumiu todas as minhas energias, fingir se outra pessoa é uma tarefa muito difícil.

Resolvi parar de nadar contra a maré, deixei os sentimentos livres, que façam estrago, que eu volte a ser chamada de louca por sentir demais. 

Tatuei na pele todos os "neoqeav" que falei e ouvi. Tatuei na pele pra nunca esquecer que amores eternos são reais, mas as vezes não são recíprocos. Tatuei na pele todos os juramentos de mindinho e promessas para o futuro que nunca chegou. Tatuei o medo de nunca mais conseguir amar alguém. Tatuei na pele o sentimento que a tempos tento esquecer, que mesmo com todos os motivos não diminui, o sentimento que me faz procurar em todos os caras que conheço algo parecido com outro alguém.

Irão dizer que fiz uma grande burrada em marcar na pele algo que não me faz bem, mas esse foi o meu grito de socorro, o meu grito de força, o meu desejo de não guardar tudo que sinto dentro de uma gaiola. Tatuei na pele pra tentar expulsar do coração, talvez assim o sentimento diminuirá, o medo irá embora e eu voltarei a ser livre para amar. A correnteza ainda levara meus sentimentos para águas calmas.


Pessoal

Tag: Louca por fotografia

sábado, dezembro 02, 2017
Andei sumida novamente do blog, mas dessa vez tive um motivo importante, faculdade. Fim de período é sempre uma loucura, entrega de trabalhos, provas que foram feitas pra te deixar louco, acabei me dedicando totalmente a isso (afinal, essa é a maior prioridade da minha vida). Mas final esse ano acabou, já é possível respirar com calma e fazer outras coisas.

Vi essa tag no blog da Babi, Uai Babi! , achei super legal e resolvi responde-la. É um post curtinho só pra atualizar mesmo.  
COM QUANTOS ANOS VOCÊ TEVE SUA PRIMEIRA CÂMERA FOTOGRÁFICA?
Aos 8 anos eu pegava a câmera analógica da minha mãe e saia por ai tirando foto de tudo e todos. Aos 13/14 anos, se não me engano, tive minha primeira câmera digital, que pra época era top, uma mirage 3mp (tenho ela até hoje de lembrança).
PREFERE FOTOGRAFAR OU SER FOTOGRAFADA?
 Nunca fui muito fã de câmeras apontadas pra mim, a não ser quando é autorretrato. Sempre  prefiro estar por trás da câmera, gosto de mostrar o mundo da minha forma.
VOCÊ TEM UMA BOA CÂMERA PARA FOTOGRAFAR?
É uma ótima câmera (canon t5i), atende perfeitamente pra tudo que preciso. Pretendo futuramente comprar outro modelo da canon e passar a minha adiante.
VOCÊ FOTOGRAFA E PUBLICA SUAS FOTOS?
Não são todas as fotos que publico, escolho sempre as minhas favoritas e que se encaixam com o que quero passar. Quando não publico deixo todas organizadas no computador e muitas acabo revelando.
TUMBLR, WE HEART IT, OU INSTAGRAM?
Instagram pela praticidade, todo mundo usa e é mais fácil das fotos terem um bom alcance. We heart it já é praticamente um site morto, poucas pessoas ainda usam, nunca cheguei a usar o tumblr para fotos, era apenas para textos.
JÁ FEZ ALGUM TIPO DE CURSO DE FOTOGRAFIA?
Curso profissionalizante nunca fiz. Fiz apenas um curso de 12h sobre a teoria da fotografia. Grande parte das coisas que aprendi foi testando e assistindo alguns vídeos no youtube.
CITE UMA PESSOA QUE VOCÊ SE INSPIRA PARA TIRAR SUAS FOTOS.
Eu gosto e me inspiro no trabalho de vários fotografos, Lucas Pinhel, Bryan Adam, Derrick Freske, Fernando Schlaepfer, Matt Ferr, Guilherme Rossi, André Pilli, entre vários outros.
VOCÊ EDITA SUAS FOTOS OU PREFERE QUE ELAS FIQUEM NO MODO ORIGINAL?
Já passei por algumas fases, no começo gostava das fotos o mais natural possivel, só editava brilho e contraste. Aos poucos fui editando um pouco mais, em alguns momentos mudava toda a cor da foto. Hoje eu estou curtindo editar as fotos que posto no instagram com um presets mais quente (lá da pra ver algumas edições que já usei).
QUAL SEU PROGRAMA PREDILETO PARA EDITAR FOTOS?
Meus programas pra vida são o Lightroom e Photoshop, ambos no computador. No celular gosto muito do vsco cam e afterlight.


SONHA EM SER FOTÓGRAFA OU FAZ ISSO COMO UM HOBBIE?
Mesmo não divulgando muito eu já trabalho há 1 ano e meio, mas pretendo investir pesado em 2018 nessa area, é realmente algo que me vejo fazendo por anos, que faço com prazer. Tenho alguns trabalhos publicados aqui.
QUAL A ÚLTIMA VEZ QUE VOCÊ FOI FOTOGRAFADA POR ALGUÉM?
Não tenho nenhuma noção disso, hahaha
VOCÊ É DAQUELAS QUE QUER SEMPRE REGISTAR OS MOMENTOS E O QUE ESTÁ AO SEU REDOR, E SAI SEMPRE COM UMA CÂMERA NAS MÃOS?
Depende muito, normalmente não sou tão a louca das fotos em alguns momentos, prefiro curtir com as pessoas. Mas em muitos lugares já vou com a intenção de tirar fotos.

MOSTRE UMA FOTO SUA QUE VOCÊ GOSTE MUITO.
As fotos que ilustraram esse post são meus amores!
Textos

Eu sou mar calmo e tempestade

sexta-feira, outubro 13, 2017
Foto: Reprodução/AE/Flickr

Eu odeio a sensação de que as coisas são tão certas quando estou contigo. É estranho me pegar sorrindo feito boba ao lembrar do seu sorriso ou  qualquer momento feliz ao seu lado, que não foram poucos, mas que algo dentro de mim anseia por mais.

Te entreguei meu corpo e meu coração. Receosa e com medo, tentando não pensar nas milhares de coisas que poderiam dar errado. Mas eu entreguei e passei a confiar de olhos fechados. Seu peito sempre foi meu lugar favorito, ali eu encontrava toda paz que me faltava. 

Pode até ser clichê, mas, quando algo é bom, intenso e verdadeiro não adianta tentar explicar em palavras, não tem muito o que discutir e nem provar. Tá ali pra ser sentido. E nós estávamos e sentimos tudo que era necessário, os sentimentos bons e ruins. Nós eramos naquele tempo perfeitos um pro outro. Mas a vida nunca é da maneira que imaginamos.

Não sei porque tudo acabou, na verdade, acho que foi por ter sido intensa demais. Esse é meu grande problema, nada nunca é pela metade, é sempre um copo transbordando. Acredito que essa seja uma boa definição pra mim. Tudo em mim transborda, amor, raiva, angustia, medo... Acabo causando uma grande tsunami de sentimentos, eu me afoguei em mim mesma. Nunca aprendi a nadar direito, ao tentar me salvar você também se afogou.

E nesse momento você sentiu medo, não sabia quando a tsunami iria voltar, não havia mais coragem pra tentar passar outra vez por isso. A imagem de você indo embora em seu navio seguro me parti o coração até hoje.

Continuo vivendo um dia de cada vez sendo extremamente intensa. Sou mar calmo quase sempre, e pra quem tiver coragem de enfrentar a tempestade construí um cais dentro de mim.


NO FACEBOOK

Créditos

Todo o conteúdo desse blog é de propriedade de Thaynara Paiva, exceto o conteúdo sinalizado. Protegido pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610 de 19/02/1998. É Proibido qualquer tipo de reprodução das imagens e textos sem autorização por escrito.